• Redação

Nosso Manifesto



A crise da mídia impressa é uma das pontas que ligam a sociedade à discussão sobre o fim do jornalismo. A chegada da internet foi avassaladora: no início, os grandes veículos se prendiam a uma prática em que o texto jornalístico das páginas impressas era simplesmente transposto nas páginas digitais, sem qualquer adequação ao mundo virtual. Mas tudo bem, o novo pode assustar mesmo.


É natural perder-se em hiperlinks, algoritmos ou anúncios online até aprender a usá-los. O problema é que o mercado não costuma esperar adaptação alguma. Ao invés disso, as redações ficam cada vez mais enxutas, o salário cai, influenciadores digitais se proliferam como transmissores de informação. A desconfiança é a cereja desse bolo, incitada por políticos que consideram jornalistas como “espécies em extinção”.


Os jornalistas, naturalmente, estão na força contrária a esse cenário quase apocalíptico e, diante dos obstáculos, seguem na defesa da profissão. Quem é sabe a importância do Jornalismo, do compromisso social que carrega, da responsabilidade que possui. Porque a comunicação é uma forma de arte – uma arte que não depende apenas de talento ou dom, mas que é cheia de técnicas e, principalmente, ética.


Esses profissionais se reinventam, testam, experimentam e tentam construir um futuro. A necessidade do sustento financeiro grita e a paixão pelo jornalismo se transforma em combustível para estar ativo no mercado, não só buscando as diversas áreas da profissão, mas até mesmo criando empresas, agências, portais online, assessorias, revistas. Mas isso significa assumir riscos.


Por envolver dinheiro, planejamento e tempo, o investimento pode ser complicado; já as incertezas surgem aos montes. Mas é uma movimentação – independentemente de seu preço – que prova que o jornalismo vive e que os jornalistas ainda têm sangue para defender a si mesmos e sua atuação.


A Revista Ponta é uma das muitas iniciativas que assumiram esse risco, materializando a inquietude de um trio de amigos recém-formados que acreditam – e apostam – no jornalismo.